Marielle Franco vai ganhar monumento no Rio de Janeiro

Instituto Marielle Franco propõe estátua para homenagear vereadora e defensora dos Direitos Humanos assassinada no Rio de Janeiro; saiba mais

Neste mês de março completam três anos de um crime que continua sem solução, nem tampouco encontrou culpados. Assim, o Instituto Marielle Franco propõe a construção de uma estátua para homenagear a defensora dos Direitos Humanos que foi assassinada enquanto exercia o cargo de vereadora na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Leia também: Com mudanças na programação, Rock in Rio é adiado para 2022

A história da vereadora Marielle Franco

Nascida no Complexo de favelas da Maré, no Rio de Janeiro; Marielle Franco passou sua infância e adolescência na periferia da capital carioca. Assim, a ex dançarina de funk da equipe Furacão 2000 se formou Bacharela em Ciências Sociais pela PUC Rio, além de Mestre em Administração Pública na Universidade Federal Fluminense.

Com fortes posicionamentos políticos, Marielle se transformou numa das figuras de referência no PSOL carioca. Dessa forma, foi eleita a quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro em 2016; bancando a luta pelas minorias e debatendo as pautas dos Direitos Humanos na Câmara Municipal do Rio.

A veemência com a qual defendia suas ideias chamou a atenção de criminosos milicianos no Rio de Janeiro. Assim, a vereadora passou a sofrer constantes ameaças de morte enquanto exerceu seu mandato como parlamentar municipal.

No entanto, as ameaças se tornaram concretas na noite de 14 de março de 2018, quando a vereadora e seu motorista, Anderson Gomes, foram assassinados a sangue frio após sair de uma reunião política no Centro do Rio de Janeiro. Passados quase três anos do crime, não se sabe ainda quem mandou matar a vereadora Marielle Franco.

Veja mais: Notícias da sua cidade e estado aqui, no Tá Informado!

Um estátua para Marielle

O Instituto Marielle Franco lançou uma vaquinha virtual, com uma meta de R$ 50 mil; para ajudar na construção de uma estátua em homenagem à carioca defensora dos Direitos Humanos. Além disso, o Instituto também ficou responsável por cuidar da manutenção do monumento, com pose e local ainda a serem definidos.

Segundo o texto que introduz a campanha da vaquinha virtual, o Instituto Marielle Franco destaca: “Preservar a memória de Marielle, de suas lutas e sua trajetória, assim como de mulheres e pessoas negras, é fundamental para conseguirmos continuar lutando por justiça e garantir que as futuras gerações a conheçam e sigam esse legado adiante.”

O valor arrecadado pela ação será usado para a aquisição dos materiais (gesso, cera, ferro, bronze) utilizados na produção da estátua. Assim, para que ela tenha grande durabilidade e exista por muitas gerações; o processo de fundição que é feito com uma antiga técnica artesanal, utilizada há séculos por escultores de renome no cenário internacional.

A escultura será feita pelo artista Edgard Duvivier, autor de diversas estátuas famosas, como Clarice Lispector, Garrincha, Pelé e Mujica. A vaquinha virtual já ultrapassou a metade da meta estipulada poucas horas após sua divulgação nas mídias digitais e canais oficiais do Instituto Marielle Franco.

Você pode gostar: Saiba tudo sobre as transmissões dos jogos de hoje no futebol brasileiro

Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais